Terça, 24 Maio 2022 | Login
Produção industrial baiana tem variação positiva de fevereiro para março, diz IBGE

Produção industrial baiana tem variação positiva de fevereiro para março, diz IBGE

Em março, a produção industrial da Bahia teve uma variação positiva de 0,1% frente ao mês anterior, na comparação com ajuste sazonal, segundo a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) Regional, do IBGE. Com isso, a indústria da Bahia avançou pelo segundo mês consecutivo (entre janeiro e fevereiro, o crescimento tinha sido de 0,4%).

O resultado para o estado, porém, ficou levemente abaixo do índice nacional (0,3%) e foi o 9o melhor dentre os 15 locais investigados. Os maiores crescimentos foram verificados em São Paulo (8,4%), Ceará (3,8%) e Mato Grosso (2,8%).

Apesar do resultado positivo, o setor fabril da Bahia ainda está longe de se recuperar das perdas registradas desde que se iniciou a pandemia da Covid-19, operando num patamar 19,9% abaixo de fevereiro de 2020.

Dos 15 locais pesquisados pela PIM-PF Regional do IBGE, apenas 6 tiveram quedas na produção industrial, na passagem de fevereiro para março, com as maiores retrações apresentadas em Santa Catarina (-3,8%), Pará (-3,3%) e Espírito Santo (-3,0%).

Além de ter apresentado resultado positivo frente ao mês imediatamente anterior, em relação a março de 2021, a produção industrial baiana também cresceu (8,6%). Este foi o primeiro avanço no indicador após 14 quedas consecutivas, registradas entre janeiro de 2021 e fevereiro de 2022.

O resultado registrado na Bahia foi o segundo melhor do país e bastante superior ao nacional. No Brasil como um todo, a produção industrial recuou 2,1% em março 22/março 21, com resultados negativos em 7 dos 15 locais.

O único estado com índice superior ao da Bahia foi Mato Grosso (22,9%). Por outro lado, as maiores retrações ocorreram em Santa Catarina (-9,8%), Pará (-7,2%) e Amazonas (-4,1%).

Além disso, neste comparativo, a indústria baiana apresentou o seu maior crescimento para um mês de março em 12 anos, desde 2010, quando tinha registrado um aumento de 10,3% frente ao mesmo mês do ano anterior.

No acumulado nos três primeiros meses do ano, frente ao mesmo período do ano anterior, a Bahia é um dos 6 locais com resultado positivo (2,3%), bem à frente do registrado no país como um todo (-4,5%).

Porém, nos 12 meses encerrados em março, a indústria baiana continua no negativo (-8,2%), frente aos 12 meses imediatamente anteriores, mantendo o pior resultado do país. No Brasil como um todo, a produção industrial avança (1,8%) nessa comparação, com resultados positivos em 9 dos 15 locais.

Itens relacionados (por tag)

  • Via Parafuso segue com pista bloqueada após tombamento de caminhão carregado de amônia

    Um caminhão tanque transportando amônia tombou na altura do km 00 da BA-535 (Via Parafuso), nesta quinta-feira (19), por volta das 4h, sentido Polo Petroquímico, na rotatória da saída do Canal de Tráfego em Camaçari. De acordo com a Concessionária Bahia Norte, responsável pela administração da via, o condutor do veículo teve ferimentos leves e foi atendido pela equipe médica da concessionária.

    O caminhão pertence a transportadora Trelsa e estava seguindo para descarregar na Unigel. O Corpo de Bombeiros foi acionado e constatou que não houve vazamento do produto químico. A pista segue totalmente bloqueada até que seja feito o transbordo do produto e a retirada do caminhão.

    Enquanto durar a operação, a Bahia Norte orienta que os motoristas sigam pela Rua Eteno, dentro do Polo Petroquímico ou utilizem a BA-093. A Polícia Militar Rodoviária (PMRV) também está no local, monitorando a operação.

  • Secretaria de Educação inicia oferta de Oficina de Libras nas escolas municipais onde há alunos surdos

    Garantir a inclusão social através da extensão da oferta do ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para todos os alunos das turmas onde há estudantes surdos. Foi com esse objetivo que a Secretaria da Educação (Seduc), por meio da Coordenação de Inclusão Educacional, iniciou nesta quarta-feira (18/5), a Oficina “Libra em Sala”.

    De acordo com a secretária da Educação, Neurilene Martins, a concepção de ações dessa natureza parte da percepção das necessidades reais dos alunos da rede. “A educação é para todos, como estabelece a Constituição Federal. A Oficina Libras em Sala existe nessa perspectiva e, por isso, passa a compor o conjunto de iniciativas exitosas concebidas pela inteligência da rede, no sentido de garantir a inclusão efetiva dos nossos alunos”.

    A primeira unidade contemplada foi a Escola Municipal Santa Maria, mais especificamente a turma do 4º ano, da qual a estudante surda Angélica Bastos, de 12 anos, faz parte. Com a intermediação da professora Roseli Cruz, que ministra a oficina, a aluna manifestou sua alegria em ver a turma mobilizada para aprender Libras e interagir melhor com ela. “Estou gostando de aprender cada vez mais a Língua Brasileira de Sinais e muito feliz porque meus colegas vão aprender também”, disse Angélica.

    Uma das colegas mais próximas de Angélica é a aluna Samilly Suelen Silva, 10 anos. “Eu ainda não sei muito de Libras, mas a gente já consegue se entender. Agora só vai melhorar. Ela é legal, engraçada e muito importante pra mim”, descreveu. O sentimento de união é compartilhado com os demais estudantes, como demonstra o aluno Breno Silva, 9 anos. “É uma experiência muito importante, além de ser um aprendizado muito útil. Todos nós sempre protegemos e cuidamos da nossa colega Angélica”, afirmou.

    Roseli Cruz explica que essa é a estreia de uma iniciativa que será contínua e estendida progressivamente para as demais turmas onde há estudantes surdos em todas as escolas da rede pública municipal. “Já definimos a data e o local da próxima oficina. No dia 31 de maio, estaremos com uma turma do 8º ano da Escola Municipal Denise Tavares”, revelou.

    A professora também conduz as visitas técnicas para diagnóstico de aprendizagem nas escolas e encaminha os alunos surdos tanto para o Centro de Referência à Inclusão Escolar (Crie), onde aprendem e aperfeiçoam o uso da Libras com a professora Izabel Vasconcelos, quanto para a sala multifuncional da Escola Municipal Professora Ilda Leal Ulm da Silva – Caic, onde há o ensino de português como segunda língua para os surdos, com aulas conduzidas pela professora de Português e Libras, Gessivalda Costa.

  • Pedágios das BRs 116 e 324 têm novo valor a partir desta quinta (19)

    Quem passar pelos pedágios das BRs 116 e 324, a partir desta quinta-feira, 19, vão se deparar com os novos valores praticados.

    Nas praças P1 e P2 (ambas na BR-324), por exemplo, a tarifa vai custar R$ 2,90 – antes, R$ 2,40. Já no caso das praças P3, P4, P5, P6 e P7 (BR-116), o valor aplicado será de R$ 5,10 – antes, R$ 4,30.

    A mudança no valor veio após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), da última quarta-feira, 11.

    Na deliberação, o presidente da Corte, ministro Humberto Martins, foi em sentido contrário a uma decisão favorável à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que permitia a redução do valor do pedágio.

    Em nota enviada ao G1, a autarquia federal informou que vai analisar o teor da decisão, quando for notificada, e irá se manifestar perante o STJ.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.