Domingo, 19 Setembro 2021 | Login
Inscrições para o Prouni começam hoje

Inscrições para o Prouni começam hoje

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (Prouni), do Ministério da Educação (MEC), começam nesta terça-feira (13). Ele oferece bolsas de estudo, integrais e parciais (50%), em instituições particulares de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. Os interessados têm até as 23h59 de sexta-feira (16) para se inscrever.

São ofertadas 134.329 bolsas, sendo 69.482 integrais e 64.847 parciais, para 10.821 cursos em 952 instituições de ensino superior da rede privada.

Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Somente poderá se inscrever no Prouni, estudante brasileiro que não possua diploma de curso superior e que tenha participado do Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos de média das notas. Além disso, o estudante não pode ter tirado zero na redação.

As modalidades de participação são para os estudantes que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola; estudantes com deficiência, neste caso não é necessário ter cursado todo ensino médio na rede pública ou na rede particular na condição de bolsista integral da própria escola e, por fim, professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

Processo seletivo
O candidato a bolsas do Prouni não precisa fazer vestibular, nem estar matriculado na instituição na qual pretende se inscrever. Entretanto, é permitido às instituições participantes do programa submeter os pré-selecionados a processo seletivo específico, isento de cobrança de taxa. Essa informação será dada ao candidato no momento da inscrição.

O processo seletivo do Prouni tem uma única etapa de inscrição. Essa inscrição, gratuita, é feita exclusivamente pela internet, na página do Prouni. O candidato pode escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição, curso e turno dentre as bolsas disponíveis, de acordo com seu perfil.

O candidato com deficiência ou que se autodeclarar indígena, preto ou pardo, pode optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

Pré-selecionados
Encerrado o prazo de inscrição, o sistema do Prouni classifica os estudantes de acordo com as opções e as notas obtidas no Enem. Os estudantes são pré-selecionados em apenas uma das opções de curso, observadas a ordem escolhida no momento da inscrição e o limite de bolsas disponíveis.

Serão realizadas duas chamadas. A cada chamada, os candidatos pré-selecionados têm um prazo para comparecer à instituição de ensino e apresentar os documentos que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição. Para se certificar da veracidade das informações prestadas, a instituição pode pedir ao estudante outros documentos que julgar necessários.

É permitida às instituições a realização de processo seletivo próprio dos pré-selecionados pelo Prouni. Essa informação é dada ao candidato no momento da inscrição. Nesses casos, as instituições que optarem por processo próprio de seleção devem explicar formalmente aos estudantes, no prazo máximo de 24 horas da divulgação dos resultados das chamadas, a natureza e os critérios de aprovação, os quais não podem ser mais rigorosos do que aqueles aplicados aos pré-selecionados em seus processos seletivos regulares. É vedada a cobrança de taxas para realização do processo seletivo próprio.

Fila de espera
Ao final das duas chamadas, o candidato pode manifestar interesse em participar da lista de espera do Prouni. As bolsas eventualmente não preenchidas nas duas chamadas serão ocupadas pelos estudantes participantes da lista de espera que comprovarem as informações prestadas na ficha de inscrição.

Itens relacionados (por tag)

  • MEC propõe desmembrar Ifba e Ifbaiano, e reitora avisa: "Não vamos aceitar"

    O Ministério da Educação (MEC) quer reordenar as estruturas dos Institutos Federais de Ciência e Tecnologia localizados na Bahia. Sem criar um novo campus ou curso, o governo propôs desmembrar o Instituto Federal da Bahia (Ifba) e Instituto Federal Baiano (Ifbaiano) para criar o que seria chamado de Instituto Federal do Sul da Bahia, com reitoria em Ilhéus. A proposta, segundo a reitora Luzia Mota, não será aceita pelo Ifba.

    Ela reclama da falta de um estudo que mostre a viabilidade, possíveis inconsistências e ausência de tempo necessário para discutir o assunto com a comunidade. Foi no dia 30 de agosto que o MEC se reuniu com os reitores para apresentar a iniciativa. As instituições baianas têm até segunda-feira (20) para responderem se aceitam ou não, segundo Luzia.

    “Sem nenhum aviso, nenhuma peça anterior, eu recebi uma ligação do MEC informando que havia essa disposição do ministro da Educação de criar dez novos institutos federais a partir dos já existentes e que o Ifba poderia ser afetado. Logo em seguida, recebemos um ofício convocando os reitores envolvidos para uma reunião presencial em Brasília com o ministro da educação, Milton Ribeiro, onde a proposta foi apresentada num PowerPoint de 28 slides. Não nos foi mostrado um estudo prévio sobre o assunto”, diz a reitora.

    Se a proposta do MEC for aceita, o Ifba, que possui uma atuação voltada para formação educacional nos setores industriais e de serviços, passará a ter 15 campi e não mais 22, como é atualmente. Já o Ifbaiano, que atua na área da agropecuária, será composto por 11 campi ao invés dos atuais 14. No total, outros 10 campi em pleno funcionamento serão tirados das duas instituições e formarão o Instituto Federal do Sul da Bahia.

    Atualmente, o Ifba tem mais de 31 mil estudantes, 1,7 mil professores e 1,1 mil técnicos. Ainda não se sabe o quanto esses números vão reduzir com esse possível reordenamento.

    “Não vai ter ampliação das matrículas e, para nós, é um pouco estranho, porque se você tem uma política de criação de institutos, você já imagina que isso vai apontar para a ampliação da oferta do ensino, de vagas, de cursos...”, lamenta Luzia. Ela ainda reclama que, pela proposta do governo, as três instituições vão atuar nas áreas industrias, de serviços e agropecuária. O campus de Senhor do Bonfim do Ifbaiano, por exemplo, localizado numa fazenda, na zona rural da cidade, passará a ser do Ifba. O inverso também acontecerá.

    “Como é que uma parte dos campi do Ifba passará para o Ifbaiano, que tem uma identidade mais rural, e outros do Ifbaiano passam para nós?”, questiona.

    Outra inconsistência apontada pela reitora é o argumento utilizado de que os campi ficarão mais próximos das três reitorias que estariam espalhadas no estado. O campus Barreiras, por exemplo, localizado a 873 quilômetros de Salvador, passaria para o Ifbaiano, cuja reitoria vai continuar sendo em Salvador, segundo Luzia.

    “Isso mostra que é preciso um estudo consistente para que uma proposta do tipo seja desenvolvida da melhor forma possível. Por mais que a gente dê a negativa nesse primeiro momento, vamos prosseguir com um estudo técnico que vai avaliar a situação no estado”, relata.

    Não é só na Bahia

    O MEC não quer apenas mexer na estrutura educacional federal da Bahia. A proposta do governo visa criar 10 novos institutos: um na região Sul, outro no Norte, dois no Sudeste e seis no Nordeste. “Certamente, é algo que está ligado ao projeto eleitoral deles em 2022. Eles querem dizer que criaram mais institutos federais sem apliar as vagas e cursos. Só que, para nós, é difícil ligar isso a uma melhoria da qualidade da educação”, aponta Luzia.

    De acordo com a reitora, em 2018, houve rumores de que seria lançada uma proposta do tipo pelo governo federal, mas nada chegou a ser formalizado. “Se tem algum instituto que, de fato, é muito grande e precisa ser divididp para poder ter uma organização administrativa melhor, isso pode ser pensado de forma pontual, mas com estudo e organização”, diz.

    Minas Gerais, por exemplo, estado que possui dimensão parecida com a da Bahia, tem cinco Institutos Federais de Ciência e Tecnologia. Luzia não descarta que algo parecido seja feito na Bahia, algum dia, mas não num cenário de crise econômica que tem impactado a educação federal.

    “Todas instituições federais vêm ao longo dos últimos anos sofrendo com precarização no seu funcionamento. Nós temos perdido orçamento ano após ano. Hoje, estamos trabalhando no limite e só estamos abertos por causa das atividades online. Se tivéssemos no presencial, iria faltar dinheiro para fechar as contas. Então, como vai abrir dez novas reitorias ao custo de R$ 8 milhões anuais cada se o MEC não está dando conta do que tem hoje aberto?”, questiona.

    Ainda segundo Luzia, uma vez que a proposta será negada, há a garantia do governo federal que nenhuma mudança será feita no Ifba. “Eles disseram que vão acatar a decisão da instituição. Se voltarem atrás nisso, será uma quebra de compromisso assumido”, diz. Para os insitutos federais serem criados, um Projeto de Lei (PL) deverá ser apresentado e aprovado pelo Congresso Nacional, para depois ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

    O Ifbaiano e o MEC foram procurados, mas não responderam até o fechamento do texto.

    Confira como é e como pode ficar a estrutura do Ifba se a proposta do MEC for colocada em prática:

     

    Atuais campi do Ifba                            Campi do IFBA pela proposta do MEC

    Salvador                                                       Salvador

    Lauro de Freitas                                            Lauro de Freitas

    Simões Filho                                                 Simões Filho

    Camaçari                                                     Camaçari

    Feira de Santana                                          Feira de Santana

    Euclides da Cunha                                        Euclides da Cunha

    Jacobina                                                      Jacobina

    Juazeiro                                                      Juazeiro

    Paulo Afonso                                               Paulo Afonso

    Santo Amaro                                               Santo Amaro

    Brumado                                                     Alagoinhas

    Barreiras                                                     Catu

    Irecê                                                          Governador Mangabeira

    Seabra                                                       Senhor do Bonfim

    Vitória da Conquista                                     Serrinha

    Santo Antonio de Jesus

    Eunápolis

    Ilhéus

    Jequié

    Porto Seguro

    Valença

    Ubaitaba

     

    Confira como é e como pode ficar a estrutura do Ifbaiano se a proposta do MEC for colocada em prática:

    Atuais campi do Ifbaiano                           Campi do Ifbaiano pela proposta do MEC

    Alagoinhas                                                       Barreiras

    Catu                                                                Brumado

    Governador Mangabeira                                    Seabra

    Senhor do Bonfim                                             Irecê

    Serrinha                                                          Vitória da Conquista

    Bom Jesus da Lapa                                           Bom Jesus da Lapa

    Guanambi                                                        Guanambi

    Itaberaba                                                         Itaberaba

    Itapetinga                                                        Itapetinga

    Santa Inês                                                       Santa Inês

    Xique-xique                                                     Xique-xique

    Teixeira de Freitas

    Uruçuca

    Valença

     

    Confira como será a estrutura do Instituo Federal do Sul da Bahia, se este for mesmo implantado, conforme a proposta do MEC:

    Campi do Instituto Federal do Sul da Bahia

    Santo Antonio de Jesus

    Eunápolis

    Ilhéus

    Jequié

    Porto Seguro

    Ubaitaba

    Teixeira de Freitas

    Uruçuca

    Valença (Ifbaiano)

    Valença (Ifba)

  • Retorno escalonado às aulas semipresenciais em Camaçari tem início nesta segunda -feira (16)

    Cauã Mattos é aluno do 4º ano do ensino fundamental na Escola Parque Florestal. O garoto, de 9 anos, em sua vida escolar tem os passos acompanhados de perto pela mãe, a estudante de direito Tatiane Patrícia Santos. Ambos não conseguem esconder a alegria por saberem que, a partir do dia 16 de agosto, as unidades escolares voltam às aulas em regime semipresencial, de forma escalonada. O mesmo se estende às demais 101 escolas da rede municipal, que passam a receber em suas sedes os mais de 37,7 mil estudantes, distribuídos entre sede e costa.

    Para Cauã, a escola faz com que se sinta mais ele mesmo. “Ela é quase tudo pra mim, porque a minha vida é quase a minha escola”, reconheceu. O afastamento compulsório ao qual a pandemia o submeteu foi lição dura. “Depois do Covid eu tive mais dúvidas; às vezes eu fico meio triste, às vezes eu durmo assim pensando ‘poxa, como vai ser quando eu voltar pra escola?’”, indagou-se.

    Segunda (16/8), o jovem estudante vai responder por ele mesmo a essa pergunta. Ao seu lado, sua mãe comemora. “Ter ele de volta para escola é uma alegria imensa pra mim, porque além de aprender o que ficou vago pra ele no primeiro ano de pandemia, é ver a interação dele com os amigos, com os professores”, expressou.

    Ao tempo em que manifesta felicidade, Cauã está ciente das limitações que a emergência da doença trouxe para o convívio socioeducativo. “Eu vou tirar muitas dúvidas, vai ser muito mais fácil de estudar, vou ver meus colegas, poder conversar mais de perto e sei que vou ter que me cuidar, não vou poder tirar a máscara e vou poder tirar minha dúvida com as professoras”, citando com propriedade alguns dos protocolos que regerão essa rotina.

    Em visita à unidade, Tatiane declarou se sentir resguardada. “Chegar aqui e ver uma escola antiga como essa toda reformada, com a estrutura nova, toda adequada dentro dos protocolos, com toda segurança possível, equipe bem preparada, professores já com primeira e segunda doses, ou alguma delas, então a gente se sente muito segura”, declarou.

    Para a mãe, durante os primeiros anos da pandemia, a escola abriu as portas não só da unidade, mas também do coração de cada profissional, e adentrou as casas das famílias de forma mais diária e constante. Segundo Tatiane, “a gente conseguiu interagir com a escola muito mais além do ensino, foi uma relação de amizade, de companheirismo, de troca de desabafos de momentos de angústia e eu acho que a professora nesse momento foi mais do que pró. Ela foi amiga, confidente, ela foi aquela pessoa que esteve ali de mãos dadas todos os dias, fora do seu horário de trabalho”, relatou.

    Com o retorno ao convívio social híbrido propiciado pela escola, a Prefeitura de Camaçari está certa de continuar seu trabalho de auxílio a essas famílias, seja superando dias difíceis; seja dando sustentação pedagógica aos alunos da rede, de modo a fazê-los avançar em suas vidas. Como bem afirmou a mãe de Cauã, “com a equipe de professores daqui sempre dando apoio, a gente consegue se sentir um pouco mais abraçada”, afirmou.

    Prédios de escolas requalificados, profissionais docentes e não docentes vacinados, vale merenda garantido, kit volta às aulas distribuídos, medidas de segurança na merenda, limpeza e 100% da frota do transporte escolar disponível são alguns exemplos da grande mobilização feita pela Seduc para ofertar ambiente seguro à comunidade escolar, além de acolhedor.

  • Protocolos garantem segurança nas escolas em Mata de São João

    Alguns protocolos sanitários promovidos pela prefeitura de Mata de São João tem ganhado destaque e tem garantido a segurança nas escolas da cidade. Os protocolos foram destaque em matéria apresentada nesta terça-feira (3), pelo Jornal Nacional da TV Globo.

    A volta às aulas ocorreu no dia 5 de julho e aprefeitura informou que um monitoramento da Vigilância Epidemiológica de Mata de São João mostrou que as escolas municipais são ambientes completamente seguros para os alunos. O protocolo de segurança sanitária adotado pelas secretarias de Educação e de Saúde prevê que, quem apresentar sintomas gripais permaneça em casa, realize o teste e informe à escola/creche que estuda.

    Desde que as aulas presenciais retornaram, as equipes pedagógicas e os estudantes entenderam a rotina com os protocolos de segurança. Entre as principais normas implementadas nas unidades de ensino estão o uso obrigatório de máscara, lavagem constante das mãos, uso do álcool a 70% e o distanciamento social.

    Por meio da SEDUC, a prefeitura iniciou a entrega de cerca de 10 mil máscaras de proteção e 10 mil garrafinhas de água aos estudantes da Rede Municipal. A ação tem o objetivo de prevenir a transmissão do coronavírus e proteger a saúde dos alunos.

    As máscaras de proteção individual são confeccionadas em tecido e podem ser lavados e reutilizados. A garrafinha de água é fundamental nas escolas, pois além de proporcionar hidratação, tem o objetivo de barrar a contaminação, já que cada estudante terá a sua. A rede municipal matense tem cerca de 10 mil alunos.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.